Seguidores

Romance escrito em tempo real

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

http://vieiracalado-poesia.blogspot.com/


poema àquele azul



Era um azul vivo branco lilás prateado negro transparente
cor da cor do sol nos olhos cerrados a este mundo.

Era um azul flecha parada movimento estático do mar
cor próxima da cor de quem bendiz o amor.

9 comentários:

Stella Tavares disse...

A poesia de Vieira Calado dispensa apresenações. Ou já se teve a opotunidade de conhecê-la ou ainda não se teve, mas uma vez conhecida, nunca mais conseguimos ficar longe dela. É mais ou menos como uma nascente de inspiração que vai irrigando o coração dos seus leitores. Obrigada pela sua parceria e sempre generosidade, amigo.
Bjs

Chica disse...

Maravilhosa poesia , sempre um prazer lê-las assim...beijos,chica

Livinha disse...

Está de braços dados ao amor é de fato perceber, sentir e mergulhar na vida, pois que ela de fato é azul...

Maravilhoso poema!

bjss

Vieira Calado disse...

Pela parte que toca

amiga,

o meu agradecimento.

Bem haja!

*Adriana* disse...

É verdade, Stella, dispensa apresentações. Já o conheço e sigo há algum tempo, desde que descobri o mundo dos blogues.

Parabéns!

Abçs

"re" disse...

Azul. Azul; mar, tranquilidade, serenidade. Azul; agua, sonhos, magia. Azul, a minha cor preferida... Adorei este poema Azul.
Um ótimo fim de semana (Azul)
Besos

Rodrigo disse...

Ola passando para uma visita aguardo a sua tenho selos para vc, um grande abraço


http://coisasetcetaldigo.blogspot.com/

Opuntia disse...

Belo poema! Um arco-íris!

Bjos

angela disse...

Já o sigo eadmiro muito seu canto.
Desculpe a demora no comentário, estou com problemas no micro...
beijos