Seguidores

Romance escrito em tempo real

segunda-feira, 31 de maio de 2010

O caminho de volta

Entreguei-me ao vício aos dezoito anos, renasci aos vinte e cinco quando descobri que merecia uma segunda chance e procurei por ajuda. Foi então que descobri tantas outras pessoas que, como eu, tateavam o caminho de volta, buscavam por um renascimento. Foi uma longa jornada, cheia de sofrimento, mas também de aprendizados, desses que ficam para sempre. Voltei a estudar e me formei em engenharia civil, me casei e tenho três filhos e uma família harmônca. Não preciso mais de muletas para enfrentar nenhuma situação. Perdi por completo o medo de errar, não mais me considero infalível. Tanta coisa mudou em mim. Convivo tranquilamente com os meus pés de barro.

Murilo Gouveia - 43 anos
Depoimento por email

Hoje, Murilo é um ser humano em construção como ele mesmo se define. Aprendeu a viver um dia de cada vez. Deixou para trás o vício e a descabida pretensão de ser perfeito.

6 comentários:

angela disse...

Bonito este caminho que ele trilhou.
Um caminho de volta, sem volta.
beijos

Livinha disse...

Arrogância foi desixada para trás. Fez-se prenúncio da humildade, se colocando a frente do orgulho.
As vezes basta uma palavra para dar-se um sentido renovado...

Bela postagem Stella
Reflexivo texto

Linda semana
Bjs
Livinha

Eduardo Montanari disse...

Eu cheguei a experimentar drogas uma única vez, quando estava em depressão, mas só me fizeram sentir pior e eu nunca mais cheguei perto.
Deus abençoe muito esse "rapaz", que conseguiu reunir forças e deixar o vício. Quem dera todos conseguissem.

Tertúlias... disse...

Muito bonito!!!!!!! Fiquei feliz em ler!!!!!!!!!!!!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Stella! Passando para agradecer a visita e dizer que estou muito feliz com a tua volta.

Com doze anos de idade, começei a beber e a fumar, (Também duas drogas horríveis) quando cheguei a conclusão de que somente mal as mesmas me faziam, resolvi que era chegado o momento de largá-las. Hoje, faz seis e cinco anos respectivamente que não bebo e nem fumo, graças ao nosso bom DEUS. É só uma questão de querer. "As montanhas suavizam-se a voz do posso e derretem-se a voz do quero". (Edward Purinton).

Beijos e que fiques na paz de DEUS.

Furtado.

João Fco. Viégas disse...

Muito bonito mesmo.
Queria que depoimentos como este fossem mais alardeados! Tanta gente que precisa ouvir!!
Isso, das drogas, é uma coisa que me assusta. Essa progressao do problema é mesmo assustadora. É verdade que o homem é o lobo do homem!