Seguidores

Romance escrito em tempo real

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Em cena aberta


Enquanto leio, extravaso meus sentimentos das mais variadas formas. Já deixei um livro sobre a mesa, para aplaudi-lo. Nunca soube muito bem o que fazer com o que sentia, mas sempre soube que o aplauso é uma intensa forma de homenagem. Outras vezes, quando leio Clarice Lispector, por exemplo, necessito de uma pequena pausa para que as palavras se acomodem, se decantem.
Já li todos os livros de Harry Potter e aguardo o filme do livro mais recente com grande entusiasmo.Tenho um filho de nove anos e outro de treze, com os quais compartilho, prazerosamente, filmes e leituras. Sempre voltamos conversando sobre o filme, comparando-o com o livro, na mesma sintonia.
Na minha infância ia ao cinema com frequência e nunca deixei de me encantar com a conexão estabelecida. Lembro-me que aplausos aconteciam, espontâneos, fazendo com que os próximos diálogos não fossem ouvidos. Alguns adultos se aborreciam e preferiam a segunda sessão para se livrar dos arroubos juvenis e eu me perguntava
se chegaria o dia em que ficaria impassível frente a um livro ou filme, mas esse dia nunca chegou. Minha alma fica em estado de graça enquanto assisto Avatar, Up, tantos filmes e livros com o poder de transportar e sinto que assim será para sempre, a cada página, a cada filme, a cada peça teatral e agradeço a Deus que assim seja.

Stella Tavares

17 comentários:

Juliana Dias disse...

Olá! que bom que compartilha com os seus pequenos o dom da leitura e do aprendizado! Com certeza estás a moldar homens de bem!

Grande beijo!

Elaine Barnes disse...

Bom na vida é manifestar um dom,parabéns por tudo! Eu escrevia histórias infantis tb. Publiquei um livro em 1995. Depois a vida virou e não dei continuidade. Tenho mais de 20 histórias amareladas escritas a mão rs... Boa sorte pra você que lutou e merece. Montão de bjs e abraços

Tertúlias... disse...

Linda, voce colocou meus sentimentos em palavras... cada llivro, cada filme é para mim um amigo... jamais esquecerei minha tristeza ao acabar "Anna Karenina"... fazia vestibular na época e nao tinha tempo... as 1500 páginad de Tolstoy me acompanharam por meses... e quando as acabei minha tristeza foi tanta que um querido amigo pintou um quadro meu naquele momento...
Quanta cosa rica voce nor trás aqui... até setembro, hein?

Livinha disse...

Stella minha querida,
eis o segredo da boa leitura,
passeando devagar sobre a estrada das letras, assimilando cada ponto, concluindo.
Nada vale a pena leitrua sem concentração, sem o senso do assimilativo.


É na fotografia que não se revela
que está contida magias e encantos
que se mostram apenas nos sentidos...

Tem um selinho pra você em meu
recanto.
Obrigado pela sua presença amiga...

Bjs

Livinha

Salete Maria disse...

A mídia fala em Bruno
Eliza e gravidez
Flamengo, orgia e fumo
-esta é a bola da vez!-
Tem muito 'especialista'
Em busca de alguma pista
Pra ser o herói do mês

E a história se repetindo
Mudando apenas o nome
Outra mulher sucumbindo
Sob ameaça dum homem
Uma vida abreviada
Cuja morte anunciada
A estatística consome
(...)

Leia mais em www.cordelirando.blogspot.com

Sandra Timm™ disse...

Se metade das mães fizessem como você, seria tão melhor...

Eu adoro ler, que sabe ler, sabe interpretar, sabe escrever, sabe falar, sabe criar, imaginar...

Nunca perca isso!

Beijo

Leca disse...

Quando leio Clarice...
Também preciso que as palavras...as belas e as mais reais...se acomodem...em mim...
beijos
Leca

Lau Milesi disse...

Oi Stella, tudo bem? Quanto tempo... Que beleza de post! Me identifiquei em várias situações no seu texto. Ofereço sempre ao livro minhas homenagens, meu aplauso. Clarice nos leva ao silêncio, à meditar e refletir, é maravilhosa.
Ontem mesmo, assisti "Eclipse" com minha neta. Fiz parte do coral de "ahhhh"... quando Edward beija calorosamente Bella ou quando Jacob chega com seu porte atlético exibindo seu "tanquinho" tão cobiçado pelas meninas.[rs] Muito bom esse compartilhar/incentivar "leitura".Meus filhos só dormiam ao se cansarem de ler. E esse hábito (saudável e útil) foi passado adiante por eles aos filhos. Ainda bem.

Enfim, todas essas emoções, lembranças vieram à tona em razão da excelente escritora que você é, culpa do seu talento.[rs] Um beijinho.

Com admiração:

Lau

Léo Metallica disse...

E quem disse que as hitórias para crianças continuam a ser histórias para crianças? Hoje em dia as recriações de histórias clássicas estão sendo feitas de forma a atrair mais o público adulto do que as próprias crianças. As histórias tem sido deverás complexas.

O Harry Potter tem passagens de assombros com o vilão principal. Aterrorizante. Que bom que você assiste estes filmes com o seu filho, pois eu não me arrisco a vê-los com o meu sobrinho. Posso ser retrógrado, mais eu ainda prefiro que ele leia as historinhas da turma da mônica e walt disney, porque eu penso que criança primeiro tem de aprender a ser criança.

A literatura internacional é muito crítica e rebuscada, forte em certos tons. creio que influenciado pelos periódos sombrios pelo qual aquele continente já passou.

Direto do Rio.
Abraço.

Daniel Costa disse...

Stella

Como vibro com o que leio ou vejo, muitas vezes a emoção toma conta do mim, "aplaudo" tranquilo no silêncio da meditação. Nos casos em que estou rodeado de gente a apaudir como ruido, esse não incomoda, faz parte da comoção.
Beijos

Fernanda Trugilho disse...

Oi Stella, vim conhecer seu espaço, e agradecer por seguir meu espaço de poemas, meus escritos. São palavras que brotam sem querer da minha alma.
bj,
te sigo tb.

Mônica disse...

Estela
que bom que somos visinhas.
Mas meus irmão dizem que Bom Sucesso tem uma grande diferença. O pessoal de lá é mais culto que os amparenses.
Eu gostava de cinema. Hoje não aprecio tanto.
Eu adoro livros. Qualquer um menos Hory paper. Nm sei escrever.
Com carinho Mo0nica

Batom e poesias disse...

Olhos que realmente enxergam.
Você tem!
Já tive vontade de aplaudir livros e filmes e Clarice me deixa assim também.
Texto adorável, querida.
Agradeço imensamente seu comentário lá na minha casa. De verdade.

bjs
Rossana

Livinha disse...

Stella

Alcançar um amigo, é sentir a vida de frente
Massagear sentimentos, abraçar a toda a gente
Imprimir gestos e fotografias, na tela da mente
Gostar sem porquês, uma razão que faz bem a gente
Olhar-se por inteiro, amar sem proconceito e gritar para o mundo ouvir:
Ser amigo é para sempre!

Obrigado por ser minha amiga...


Bjs

Livinha

Por toda minha Vida disse...

Bom dia.
Estou com problemas de conexão, deixo aqui meu MUITO OBRIGADA, pelo comentário e pela visita. E sim anjos tem que existir, não importa como criamos sua imagem, que o teu anjo de proteja...

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Há momentos em que é preciso ... parar mesmo... ainda que seja só para respirar...~Um beijo amigo
Graça

Nádia Dantas disse...

Sempre muito bom chegar aqui, Stella.
Hoje aproveitei para colocar a leitura de seu blog em dia.
Amei o texto! A relação do leitor com o livro precisa mesmo ser uma relação de prazer.
Tento passar isto para meus alunos.
Um excelente final de semana.
Abraço
Nádia