Seguidores

Romance escrito em tempo real

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Bendita Catarse!

Enxergar-se a si mesmo, parece tão simples, tão fácil, mas não é. Sempre tive muito receio. Quando alguém enxergava em mim um defeito, algum ponto de minha personalidade que precisava ser melhor trabalhado, sentia-me ofendida, entristecida e, não raras vezes humilhada, diminuída, desconfortável. Vivi durante anos a fio sem conhecer a minha essência. Pior que isso, enxergava-me através dos olhos do outro, alimentava-me e guiava-me do que o outro pensava a meu respeito. O que me tornava cada vez mais vulnerável. Enxergava em mim a mais humilde das criaturas e acreditava que era exatamente aí que residia o meu calcanhar de Aquiles.. Até o dia em que comecei a dissecar o que sentia, tudo que me causava tamanho desgosto e sensação de impotência. Até conseguir entender que eu era uma pessoa insegura e que tudo que eu sentia era resultado disso. Foi então que, para meu espanto, descobri que não era uma pessoa humilde. O que eu enxergava como humildade nada mais era que um tremendo Orgulho travestido de humildade.
Achava que não gostava de falar em público, preferia ser uma eminência parda por humildade quando na verdade não dava a cara pra bater porque era um poço de orgulho. Foi então que comecei a rir de mim mesma, a desarmar a cilada emocional em que vivia. Comecei transformando minhas experiências em uma peça teatral a qual dei o nome de Manual do inseguro. Passei a fazer entrevistas e aos poucos fui percebendo que não era nenhum E.T que tantas e tantas pessoas navegam ou já navegaram por essas águas.
Algum tempo depois escrevi um livro sobre o mesmo tema e este blog. Resultado abri todas as comportas, minei todo o campo, dei linha à pipa, enfim esgotei, mapeei, transmutei sentimentos, levei-os para o papel, para o computador, como tema de conversa, despi-me de todo orgulho... Ah, bendita Catarse! Foi o que houve. Hoje me sinto uma pessoa mais forte, mais convicta. O outro e a opinião alheia têm o valor que lhe damos. Hoje me conheço e esta é a poderosa arma que descobri. Sei o que me satisfaz e o que me agride. Consigo conduzir melhor os meus sentimentos e isso não é fruto exclusivo do passar dos anos. É a lei da observação, dos ensaios e erros, do baixar a bola e me enxergar exatamente como sou. Reconheço o que faço com mais facilidade, o que preciso de ajuda para realizar, o que não consigo realizar, sem me sentir diminuída por isso. Como é confortável ser o que somos, sem máscaras, sem pretensões. Bato muito nessa tecla, mas a base de tudo é nos libertarmos do orgulho. Esse grande ditador e suas descabidas exigências.

19 comentários:

real republica disse...

"águas das fontes calai
óh ribeiras chorai
que eu não volto a cantar"

Pena disse...

Olhe, sabe, Maravilhosa Pérola Preciosa Amiga:
VOCÊ fascina como escritora. Sensibiliza e comove de encanto pelo seu trabalho magistral e perfeito.
A Blogosfera necessita muito de si e da sua pessoalidade e individualidade de ouro do mais puro que sempre encontrei em si e no que escreve com génio e talento.
Formidável. Notável. Lindo. Entende?
Sempre tive esta opinião de si e da sua realidade como excelente e deslumbrante pessoa/ser humano majestoso que passa para o papel instantes literários de sonho.
OBRIGADO por lê-la. É uma honra imensa.
Adoro o que escreve com ternura e siga sempre em frente, sem medo, sem receio de nada nem de ninguém.
Beijinhos amigos de imenso respeito e estima sinceras.
Sempre a admirá-la...

pena


Linda...!
Bem-Haja pela divina pessoa que é.
Parabéns sinceros e sentidos, amiguinha perfeita.

Úrsula Avner disse...

Cara Stella, o grande desafio humano é deparar-se consigo mesmo, realizar o auto-exame dia a dia. Texto reflexivo. Obrigada por seu carinho em minhas páginas. Bj.

Rosemildo Sales Furtado disse...

É, a autoanálise é muito importante na vida do ser humano. É através dela que descobrimos tudo aquilo de bom e de ruim que praticamos. Muitas vezes agimos de certa forma pensando estarmos certos, quando na realidade estamos errados. Belo texto, muito bem coordenado. Parabéns!

Beijos,

Furtado.

angela disse...

Bonito depoimento, c corajoso também. Esse longo e sofrido caminho para sentir-se conforyável na própria pele é imprescindivel para poder aproveitar a vida e aprimorar a alma.
Rir de si mesma é a melhor e mais eficiente arma contra o orgulho e o desejo de ser perfeita, deixamos de ser aspirante a deuses e retomamos nossa humanidade e rir é tão bom!.
Passei por isso que você descreve.
beijos

O homem e a mente disse...

Todo este processo devia ser normalmente natural do crescimento. No meu blog escrevo muito sobre auto-estima precisamente porque é uma das grandes barreiras para o auto-conhecimento. Na verdade, a bem pouco tempo, cheguei a conclusão que a maioria da população tem problemas de auto-estima, revelando-se de diferentes formas.

Outro problema é que as pessoas têm medo de se conhecerem porque têm medo de aceitar que falharam, que erraram.

O meu processo começou aos 12 anos, o que me ajudou neste momento a estar centrado.

Continue se conhecendo, ame-se e partilha este amor.

Everson Russo disse...

Eu penso que nós simples mortais, podemos assim dizer, de tudo que enfrentamos nessa vida, o maior embate é com a gente mesmo, é quando chegamos na frente do espelho e como disse muito bem Renato Russo, "vimos um mundo doente", muitas vezes nao nos entendemos por nao querer entender, ou por nao conseguir mesmo nos entender, mas vamos seguindo em frente, cada dia aprendendo mais das pessoas e de nós mesmos...um beijo carinhoso no seu coração e um lindo dia pra ti...

Gessilene disse...

Olá...amei o texto...bem corajoso e sincero.

Parabéns pelo blog.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA AMIGA, GRATA PELA VISITA... AGRADEÇO DE CORAÇÃO... LINDO O TEU BLOGUE... ADOREI A POSTAGEM!!!
ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

A.S. disse...

Stela,

Excelente texto reflexivo, onde se podem analisar comportamentos sobre o quotidiano e colher pistas bem interessantes para que valores como a tolerância e a humildade sejam parte fundamental da nossa existência...


Um beijo

*Adriana* disse...

Stella, demonstrou muita coragem e humildade neste texto. Você se revela a nós seus leitores, amigos e desconhecidos ao mesmo tempo. Além disso seu texto me faz parar e pensar se estou realmente me enxergando.

Abçss

DIABINHOSFORA disse...

Olha Stella, acho que te descomplicaste, coisa que todos ambicionamos e demoramos a conseguir. Uns conseguem mais cedo que outros. Descobrirmo-nos e aceitarmo-nos sem medos, é a chave para caminharmos com segurança na vida.
Adoro estas reflexões que aqui nos deixas.
Beijinhos

BANDEIRA disse...

Lindo !

Vou te seguindo...

Bjs

"re" disse...

Olá Stella

É necessário ter coragem para enfrentar todos os dias, como o dia da mudança, porque todos os dias é dia de se redescobrir
Parar e pensar nos erros e acertos, no tempo que viveu, vale à pena.
Aprecie os pequenos detalhes, são estes que fazem a diferença.
A transformação interior aconteceu, forte como nunca.
Porém mais do que mudar, vc se redescobriu.

Obrigada pelo carinho de suas palavras.

Un beso

Everson Russo disse...

Um dia muito lindo pra ti querida...beijos

(Carlos Soares) disse...

Nós não estamos acostumados às críticas e devíamos. Como você disse, isso é falta de humildade,passa pelo domínio do ego(difícil ne). Eu, particularmente, sou aberto às críticas. Elogios me incomodam, nao sei se é timidez, mas as críticas me levam a pensar com odevo melhorasr, o que posso melhorar em mim. E falo muiuto com o espelho também. Dese muito jovem. Texto inteligentíssimo, o seu.Beijos

Felipe M.Nascimento disse...

Paz em Cristo jesus eu gostei muito do teu Blog é mo benção... ((Veja))www.blog-vidaprofetica.blogspot.com deixe um comentaria blz até logo valeuuuuu...

Flávia Diniz. disse...

'Sempre convivi com insegurança, mesmo quando ainda não sabia o nome do que sentia'

Adorei.

Úrsula Avner disse...

Obrigada minha cara Stella pelo seu carinho em meu cantinho poético. Bj.