Seguidores

Romance escrito em tempo real

quinta-feira, 16 de abril de 2009

A Substância do Esquecimento:

Assistindo à reportagem do Fantástico que foi ao ar no dia 12.04.09 em que foi divulgado sobre uma substância que leva ao esquecimento, ainda em fase de testes, tive uma grata surpresa.
Fosse esta notícia divulgada há alguns anos atrás ficaria extremamente feliz tornando-se o meu maior sonho de consumo. “Já imaginou? Diria eu, eufórica, poder apagar do cérebro tudo que nos feriu, machucou e que ainda incomoda?” Fiquei feliz ao ver minha reação após a exibição da reportagem ao perceber que não penso mais desta forma. Por já haver adquirido a consciência de que não existe nada que nunca cicatrize, por mais que doa e que são exatamente esses momentos que nos lapidam, nos levam avante, nos preparam para a vida. Digo isso sem o menor traço ou vocação para o masoquismo. Hoje me orgulho de tudo que passei. Todas essas experiências fazem parte da minha história de vida, são únicas e tão exclusivas como minhas digitais e intransferíveis assim como elas. Toda a nossa trajetória são caminhos que nos levam à evolução, ao autoconhecimento. O que não podemos, de forma alguma é estacionar em nossos próprios erros, ficarmos expostos à sua devastadora irradiação, passarmos a vida sendo guiados por questionamentos vãos, inúteis. Cobrando-nos descabida perfeição. A cobaia usada na referida experiência, após o uso da medicação, esquecia-se por completo do choque que levou e voltava à zona de perigo ao passo que o outra cobaia que não usou a medicação, munida da precaução que a experiência ensina, se protegia. Não vale à pena amputar lembranças, experiências da nossa história de Vida, independente do seu teor. Se forem boas nossas lembranças, elas estarão sempre prontas a iluminar nossos olhos, se forem ruins, mas bem usadas e interpretadas, funcionarão mais ou menos como firmes e adiantados passos rumo ao nosso amadurecimento.

Stella Tavares

4 comentários:

Maria Anjos Varanda disse...

Já há algum tempo que tenho tentando vir aqui visitar teu blog....e hoje finalmente tive um tempinho...

Muito bom....temas super interessantes. Parabéns!

prometo visitar assiduamente....

Beijos

elvira carvalho disse...

Absolutamente de acordo. Na minha vida que já leva uns bons aninhos, já passei por muito sofrimento, já pensei que morria de dor, mas aos poucos a dor sempre alivia, alivia, até que passa.
Um abraço

Pena disse...

Linda Amiga:
Um texto muito interessante. Repleto de inequívoca intenção de debelar o esquecimento que atinge muita gente de todas as idades e sexos. Uma experiência de enaltecer e louvar.
"...Não vale à pena amputar lembranças, experiências da nossa história de Vida, independente do seu teor. Se forem boas nossas lembranças, elas estarão sempre prontas a iluminar nossos olhos, se forem ruins, mas bem usadas e interpretadas, funcionarão mais ou menos como firmes e adiantados passos rumo ao nosso amadurecimento..."

Parabéns sinceros. Pleno de oportunidade. Porque não ficarem latentes na memória, apenas os factos e situações agradáveis e maravilhosos?
Seria Excelente!
Beijinhos amigos de imenso respeito, estima e consideração.
Com admiração...


pena

Um Post pleno de sensatez e sobriedade.

lupussignatus signatus disse...

esculpir

a pedra

da memória